terça-feira, 25 de setembro de 2012

O vaso.
 Como se palavras escapassem de seus dedos,
   a oleira modelou um poema.

 Sergio Mudado


segunda-feira, 30 de julho de 2012

Desfolhada a bola.




Em suas folhas?



Feita para ser apenas bem-me-quer.




                                         Maria Izabel

Bowl onda de Ana Malbouisson

Nos círculos concêntricos




Aclara-se.



Disforme, delicada



Deslumbrante.



(Por ai passou mãos de fada)

                                                          Maria Izabel


                       

segunda-feira, 19 de março de 2012

Bowls Yara Carvalho


  Simples talvez me defina




Ou quem sabe, leve, singela, pequena.



Mas para mãos artesãs e delicadas



eu me apresento inteira:



Terra, água, ar e fogo.



                                             (maria Izabel)

Bowl de Ana Malbouisson

Kéramos – terra queimada




Água evaporada



Finalmente moldada



com força, habilidade e ternura



Tigela, recipiente, vasilha



Forte!



Sou feita de barro.





(maria Izabel)