domingo, 6 de junho de 2010

Nervuras


Nervuras


São como veios, veias,

Cruzando, rasgando, a pedra

Que se retorce, regular e bela

Que se curva à própria beleza,

Nervosa, fria, fragmento

Estático, momento capturado,

Presente.


                     Um Barco

Simetria















 Simetria


Num céu enevoado,

Finito e curvo,

As linhas

Aliciam olhares

Alistam vontades

Alumiam sonhos

Alinham-se obedientes,

Aninham-se as linhas,

Confortadas, comportadas,

Compenetradas, mansas

Na regularidade simétrica

Dos sorrisos calmos.


                            Um Barco

Forma


Forma


Regular, que seja,

Simétrica que se deseje,

Imperfeita, pois de humana origem,

Fênix de pedra, do forno parida,

Forma e sonho,

Desejo vago,

Abstração e realidade,

Juntas.

                       
                           Um Barco